A IMPORTÂNCIA DA AVALIAÇÃO NEUROPSICOLÓGICA PARA A ELABORAÇÃO DE UM PROGRAMA DE REABILITAÇÃO COGNITIVA EM IDOSOS COM DEMÊNCIA

Luís Flávio Chaves Anunciação, Alexandre Magno Frota Monteiro, Rodrigo Cordeiro Barreto

 

As demências são síndromes que ocasionam comprometimento comportamental e cognitivo que atinge, principalmente, a memória. Como o diagnóstico definitivo depende do exame neuropatológico, este artigo defende a importância do diagnóstico diferencial, feito pelo uso de testes neuropsicológicos, para que se possa ter um diagnóstico mais confiável e um plano de reabilitação que favoreça um melhor prognóstico.

Participaram desta pesquisa 26 idosos previamente diagnosticados com DA. Após uma bateria de testes neuropsicológicos e de re-testes, pode-se, por eliminação, excluir algumas síndromes demenciais e diagnosticar 4 pacientes com depressão, 9 com outros tipos de demências e apenas 13 pacientes, 50% do grupo, com Alzheimer.

Esses resultados sugerem que, por vezes, o diagnóstico de demência tem sido feito de forma equivocada e que diversos recursos tem sido pouco utilizados para corroborar o quadro clínico, como testes neuropsicológicos e exames de imagem. O grupo pesquisado teve a correção da medicação utilizada e a adaptação de um plano de reabilitação cognitiva adequado à patologia.